segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

Um ano de governo Carlinhos, quem ganhou?

No Rio Comprido, moradores protestam contra a ameaça de despejo.  Na região leste, mães e pais denunciam a retirada das vans municipais que levavam os filhos à escola. No centro, ambulantes reivindicam um local onde possam, de fato, trabalhar e conseguir seu sustento.  Andar de ônibus continua caro e pode aumentar ainda mais.

Em São José dos Campos, o ano de 2014 começa assim como foi 2013: com a população sem ter suas reivindicações atendidas. E, pior, com novas medidas prejudicais por parte da Prefeitura.

Passado um ano de mandato, o governo Carlinhos (PT) ainda não cumpriu o que prometeu durante a campanha eleitoral. O modo de governar repete os erros do governo anterior ao não priorizar os interesses da população. Ao contrário, as prioridades petistas estão centradas em atender os interesses dos ricos, como revisar a lei de zoneamento e a lei de incentivos fiscais, e eleger a presidente da Câmara a deputada federal.

De olho na especulação e nos lucros que podem obter, os empresários da construção civil e do setor imobiliário querem “liberar geral” as regras do zoneamento, com propostas que visam o lucro e não uma cidade para todos.

Não se fala, por exemplo, em transformar o Pinheirinho, que voltou a ser um terreno baldio, em Zona Especial de Interesse Social (Zeis), para construção de casas populares e do Hospital Regional. Não se fala em taxar os terrenos alvo de especulação, como o que vergonhosamente continua pagando imposto rural em pleno Jardim Aquarius. Não se fala de a Prefeitura formar um banco de terras e diminuir o valor de terrenos para a construção de moradias para famílias de baixa renda.

A suposta modernização que se planeja na Lei de Incentivos fiscais segue a mesma lógica. A alegação é tornar a cidade “atrativa”, à custa da isenção de impostos. É a velha guerra fiscal instalada em todo o país, em que o dinheiro público deixa de ser investido em saúde, educação, transporte e moradia para ir para os cofres de empresas.

Segundo noticiou O Vale, Carlinhos também já estaria recebendo empresários das empresas de ônibus que querem um novo aumento na passagem de ônibus. Mesmo sem haver uma auditoria séria nas planilhas das empresas e o serviço continuar ruim e caro, há o risco de a Prefeitura autorizar, a exemplo do ano passado, um reajuste irreal, para atender os interesses dos empresários do setor.

Diante de tantos problemas, lamentavelmente, a Câmara de Vereadores silencia. Como na legislatura anterior, a Câmara segue sendo um apêndice do Executivo e com um desempenho vergonhoso dos vereadores, que continuam apresentando projetos de utilidade duvidosa.

Um ano depois, a cidade continua sendo administrada para beneficiar poucos, enquanto a maioria segue tendo de enfrentar problemas básicos, como a absurda falta de transporte escolar para crianças, o atendimento precário na saúde, a queda da qualidade nas escolas, a falta de creches e de infraestrutura nos bairros periféricos.

É assim e continuará sendo enquanto Carlinhos continuar governando da mesma forma que o PSDB, com os mesmos aliados e partidos que apoiaram a gestão passada durante 16 anos, com a politica da troca de favores em detrimento das necessidades e dos interesses da maioria da população. Essa é a base da sensação de “nada mudou” existente na população. Essa é a base dos protestos que seguem pipocando. O povo quer ter direito à cidade.

Artigo publicado no jornal O Vale, em 15/2/2014